Vice-governador Otaviano Pivetta descartou, em absoluto, quaisquer possibilidadefirmou em entrevista no programa Opinião, na TV Pantanal, nesta quarta-feira (23), que não tem quaisquer possibilidades de concorrer ao governo nas eleições de 2022, ao lembrar de sua de longos anos com Mauro Mendes (DEM).

Chegando mesmo a falar que não sabe ainda se deverá entrar no pleito do próximo ano ou se poderá vir novamente na dobradinha com o gestor estadual, como vice.

Pivetta deixou o PDT em 2020 devido a divergências dentro do partido sobre apoios. Argumentando que ainda analisa os inúmeros convites de outros partidos que lhes foram feitos.

“Não é hora, só vou decidir isso em janeiro, se eu sentir que poderei fazer a diferença em algum cargo, assim, ainda não sei se concorro a reeleição”, ressalta.

“Acho pouco provável, já estou há quatro anos. Governo é o Mauro que é meu amigo, grande governador e está habilitado e tem o direito de pleitear a reeleição. Por enquanto ainda não cogito cargos”, disse.

O vice também não se manifestou quanto a se filiar, ainda que algumas legendas já sonham em tê-lo em suas fileiras, na perspectiva de que ele seja candidato a governo ou Senado. O MDB que faz parte do governo Mendes e busca ganhar espaço na chapa majoritária do ano que vem é um dos que mais deseja a filiação do vice.

“Eu saí do PDT porque não estava combinando meu discurso e minha postura com o que o partido prega. Deixei muito amigos lá, mas seu eu não conseguir defender o ideal do partido, então não combina. Recebi alguns convites mas não estou conversando com nenhum”.