A dona de casa Ana Virgínia Corrêa Gomes, de 38 anos, que teve sua residência incendiada pelo ex-companheiro na noite de domingo (02), em Cuiabá, tenta reconstruir seu imóvel.

A casa, no Residencial Wantuil de Freitas, foi completamente destruída pelas chamas e a família perdeu todos os pertences.

Nas redes sociais, Ana Virgínia tem contado com o apoio de familiares e amigos para arrecadar doações e reconstituir a vida.

Pessoas que eu não conheço estão me mandando as coisas. Tô ganhando muitas roupas, muitas mesmo, já chegou geladeira, guarda roupa, coisas que eu nem sei quem está doando

Por ora, as doações estão sendo enviadas para a sua conta, por meio do Pix disponibilizado – anavirginiacorreagomes09@gmail.com.

“Não tenho a vaquinha online ainda, não consegui fazer o cadastro. Hoje que eu estou conseguindo falar, conversar”, conta ainda abalada.

Ela reforça que qualquer ajuda é bem-vinda. “Não tem nada, os documentos do meu filho, roupa, calçado, não tem nada. A casa ficou destruída, foi perda total”.

Ana Virgínia diz estar grata pelo apoio que tem recebido, apoio esse que tem chegado inclusive de desconhecidos.

“Pessoas que eu não conheço estão me mandando as coisas. Estou ganhando muitas roupas, muitas mesmo, já chegou geladeira, guarda-roupa, coisas que eu nem sei quem está doando”, diz emocionada.

Imagens que mostram o momento em que o incêndio aconteceu. Outras mostraram o estado em que o imóvel ficou após as chamas terem sido controladas. É possível ver fumaça ainda saindo do local.

O crime

Ana Virgínia conta que teve um relacionamento conturbado com R. P. F. por cerca de um ano e meio.

No último domingo, ela estava em uma festa de aniversário, em um bairro vizinho ao seu. Quando chegou no evento, lá estava o ex-companheiro.

Os dois discutiram, o suspeito queria que ela fosse embora do local com ele. A vítima contou que eles vinham se desentendendo e desde sábado o suspeito estava bloqueado em seu aplicativo de mensagens.

Em menos de três minutos eu cheguei lá, quando vi o tumulto, alerta de carro ligado, gente correndo, foi um desespero. Vi que era verdade, que foi ele
“Na hora que ele falou, ‘se você não for embora comigo eu vou tacar fogo na sua casa’ eu não acreditei, pensei que ele não seria capaz”.

Durante o evento, R. P. F. agrediu a vítima com a chave do carro e chegou a quebrar uma garrafa na cabeça da ex-companheira.

Enquanto Ana Virgínia se preparava para registrar um boletim de ocorrência, recebeu a ligação de uma vizinha avisando do início das chamas.

“Em menos de três minutos eu cheguei lá, quando vi o tumulto, alerta de carro ligado, gente correndo, foi um desespero. Vi que era verdade, que foi ele”.

No local, várias pessoas tentaram apagar o incêndio até a chegada do Corpo de Bombeiros. Apesar dos danos, ninguém ficou ferido.

O suspeito foi visto por testemunhas nas proximidades da casa, por volta do horário em que o incêndio começou.

O homem não está preso e as investigações estão a cargo da Polícia Civil.