Se aprovada, droga pode ser primeira administrada em formato de pílula para tratar doença no mundo; resultados de testes clínicos do molnupiravir animaram cientistas

A farmacêutica  MSD (empresa que nos EUA e no Canadá se chama Merck, Sharp & Dohme Corp) anunciou nesta segunda-feira, 11, que pediu autorização da agência regulatória dos Estados Unidos (FDA) para uso emergencial da droga antiviral molnupiravir contra a Covid-19. O remédio é estudado como alternativa para tratar casos leves e moderados da doença que têm risco de se desenvolver para versões mais graves da Covid-19, causando hospitalização ou morte. A pesquisa em torno do medicamento foi feita pela Universidade Emory, em Atlanta, e a administração dada durante a fase de testes foi de quatro pílulas duas vezes ao dia por cinco dias seguidos. Se aprovada, a droga pode ser a primeira de administração oral para tratar a doença. De acordo com análises preliminares dos estudos, que foram feitos também no Brasil, a administração do remédio diminuiria em 50% o risco de hospitalização causado pela doença. Se a droga for aprovada pela FDA, a expectativa da farmacêutica é de que 1,7 milhão de doses sejam entregues ao governo dos EUA para distribuição.