Os venezuelanos viveram na terça-feira um dia de turbulências que deixou muitas perguntas sem resposta.

Pouco antes do amanhecer, o presidente da Assembleia Nacional e líder da oposição, Juan Guaidó, surpreendeu os adversários ao anunciar em vídeo publicado nas redes sociais o início da “Operação Liberdade”, uma tentativa de derrubar o governo do presidente Nicolás Maduro por meio de uma mobilização popular, originalmente agendada para 1º de maio.

Guaidó estava acompanhado por militares e por outro líder da oposição, Leopoldo López, que estava preso desde 2014, acusado de incitar a violência durante protestos contra o governo, e nos últimos dois anos desfrutava do benefício de prisão domiciliar sob a custódia do Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin).

No vídeo, Guaidó convocou os cidadãos a sair às ruas, indicando que havia dado início ao fim definitivo da “usurpação”, expressão usada por ele para fazer alusão ao governo de Maduro, convidando os militares a participar deste movimento “dentro da Constituição”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here