O deputado Silvio Favero (PSL), se demostrou estarrecido com a não derrubada do veto do governador sobre a Lei Complementar nº 36/2020, que previa o fim do confisco de 14% aos aposentados até R$ 6,1 mil.

Silvio foi o relator do projeto na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) e votou pela derrubada do veto. Aos jornalistas, no final da sessão desta quarta-feira (10), Silvio disse que chegou de sofrer pressão, mas esperava um voto com olhar voltado aos que mais necessitam e estão sendo prejudicados.

“É complicado, mais uma vez o plenário teve a oportunidade de olhar para a população e não olhou de novo. Fui muito pressionado, mas não mudei meu posicionamento e a maioria dicidiu pela manutenção do veto e isso mostra mais uma vez que nessa Casa não é uma democracia”, comentou o deputado.

A votação desta manhã foi considerada uma vitória do Governo Mauro, que conseguiu convencer sua base, com a promessa de apresentar uma proposta intermediária sobre a alíquota de 14% a categoria.

A manutenção do veto foi apoiada por 12 votos a 11 e, assim, quem ganha até o teto do INSS, de R$ 6,1 mil, continua recebendo cobrança de 14% no pagamento do salário.