Tradição religiosa cristã que celebra a paixão, morte e ressureição de Jesus Cristo, a Semana Santa ganha um significado ainda maior em meio a segunda onda de casos da Covid-19 em Mato Grosso, segundo o padre Mauro Sérgio de Amorim, da Paróquia Santo Antônio de Pádua, em Várzea Grande.

De acordo com ele, esse é um momento de consolo para aqueles que estão angustiados ou torcendo pela vida de um ente querido.

“Como nós celebramos o sofrimento de Cristo na cruz para a redenção dos nossos pecados, traz consolo sim para àqueles que estão angustiados, que estão torcendo para que um parente consiga vencer a Covid. Para aquele que já perdeu um ente querido, que seja um conforto também. Traz um significado e um simbolismo muito importante”, disse.

O padre explicou que, mesmo neste momento difícil provocado pela pandemia, é importante celebrar a ressureição de Cristo no Domingo de Páscoa. A mensagem de esperança, segundo ele, ajuda a acreditar que dias melhores virão.

“São muitas perdas. Por isso, celebrar a Páscoa, celebrar a ressurreição traz ainda mais essa mensagem de esperança para que nós que não deixemos de acreditar que é possível passar por esse momento difícil”, afirmou.

São muitas perdas. Por isso, celebrar a Páscoa, celebrar a ressurreição traz ainda mais essa mensagem de esperança para que nós que não deixemos de acreditar que é possível passar por esse momento difícil
Por conta da pandemia, as celebrações da Semana Santa precisaram ser adaptadas. De acordo com Mauro, a entrada de pessoas na igreja é restrita para que não haja aglomeração, além do uso de máscara e alcóol em gel serem obrigatórios.

Ele contou que tem sido um desafio praticar o acolhimento dos fiéis em tempos onde é preciso exercer o isolamento social. O padre recorre a mensagens e ligações para aqueles que precisam de escuta.

“Naquilo que é possível fazer presencialmente, estamos fazendo. Visitamos alguém enfermo no hospital quando é permitido, tudo sempre seguindo os protocolos de segurança, dentro do que é permitido e seguro”.

Renovação da fé

A pandemia também fez com que muitas pessoas se agarrasem ainda mais na fé. Com o cenário caótico se espalhando por todo o Brasil, que registra a pior situação desde a confirmação do primeiro caso no país, o padre ressalta que através da fé é possível acreditar em um recomeço.

De acordo com Mauro, a Semana Santa traz a mensagem de entrega e visitação da paixão de Jesus Cristo.

“É a entrega que ele fez por nós. Assumiu nossas misérias e pegados na cruz, pagando o preço de nosso resgate, no sentido de nos reconciliar novamente com Deus. Nessa semana nós celebramos e vivemos de modo mais intenso esse sacríficio de Jesus por nós”.

Os ritos católicos da Semana Santa começaram no domingo (28), quando acontece o Domingo de Ramos, que remonta à entrada de Jesus no templo de Jerusalém. De quinta-feira até sábado, os católicos celebram o Tríduo Pascal.

Tríduo Pascal é o conjunto de três dias celebrados no cristianismo, composto pela Quinta-feira Santa (missa de instituição da eucaristia e lava pés, logo após, velação ao Cristo crucificado), Sexta-feira Santa (beijo da cruz) e o Sábado Santo (vigília Pascal).

“Depois dessa entrada, vemos no decorrer da semana momentos de tensão, onde ele é julgado, condenado. De quinta até sábado celebramos o Tríduo Páscal, celebramos a instituição de eucaristia que remonta a última ceia de cristo e o gesto de lavar os pés.Também fazemos esse gesto bonito, que é de humildade, de entrega, serviço e caridade ao próximo”, explicou o padre.

O Tríduo Pascal prepara os fiéis para o grande dia da ressurreição de Jesus Cristo, no Domingo de Páscoa.

O padre explicou que a Semana Santa marca “grandemente” a vida de todo cristão pela mensagem de renovação e esperança.

“O Domingo de Páscoa é o dia da ressureinção, então é a vida nova, traz a mensagem da vida nova, de nós estarmos reconciliados com Deus, para vivemors essa vida nova. Marca grandemente na vida de todo cristão, para que cada ano diante das lutas que cada um também vive na sua vivência pessoal. Traz renovação de maior esperança e maior entrega, mais ainda nesses tempos”, afirmou