A Santa Casa de Rondonópolis (216 quilômetros de Cuiabá) pode ter os atendimentos aos pacientes do Sistema único de Saúde (SUS) prejudicados caso o repasse de R$ 4,9 milhões não seja feito o mais rápido possível. Do total, R$ 3,7 mi deve ser pago pela Prefeitura Municipal e R$ 1,8 mi pelo Governo do Estado.

Neste montante, estão os pagamentos pelos atendimentos aos pacientes com Covid-19, UTI’s, Cardiologia, dentre outros serviços, desde maio de 2020. O atraso nos pagamentos é constante e forçou a diretoria a entrar com uma representação junto ao Ministério Público Estadual, para solicitar a abertura de uma investigação para apurar o atraso indevido por parte do gestor público municipal, Zé Carlos do Pátio (Solidariedade).

Conforme a Santa Casa de Rondonópolis, alguns recursos estaduais já estão disponíveis no Fundo Municipal de Saúde, mas até o momento não foram transferidos para a conta do hospital, que precisa receber o recurso para adquirir medicamentos e materiais para a unidade que é a maior das regiões Sul e Sudeste e está com os leitos lotados por conta da Covid-19 e outras doenças.


Detalhamento dos atendimentos prestados que devem ser pagos. 

A unidade pontuo que equipe da Santa Casa Rondonópolis tem se esforçado ao limite para superar as dificuldades, principalmente neste tempo de pandemia. Inclusive, esses atrasos frequentes obrigaram a diretoria a buscar empréstimos bancários, pagando juros e multas, já que muitas de suas obrigações, em especial trabalhistas, não podem atrasar.

A superintendente da Santa Casa, Bianca Talita Franco, disse que tentou ano passado uma negociação com o Executivo Municipal para que os repasses fossem feitos, mas sem sucesso. “Temos feito a administração da Santa Casa da melhor forma e mesmo recebendo com atraso, a gente tenta não passar para a população e nem para os pacientes e colaboradores a nossa dificuldade”, disse.

“Hoje temos em atraso de fornecedores R$ 1,7 mi, de honorários médicos R$ 3,6 mi, com total de juros de bancos que pagamos por mês, R$ 90 mil. O total de atrasos é de R$ 5,4 mi. Só que temos para receber mais de R$ 6 mi. Imediatamente são R$ 4 mi, sendo que esses valores são de serviços que foram realizados”, acrescentou.