A reforma administrativa com parlamentares, procuradores, magistrados e militares poderia gerar economia de R$ 31,4 bilhões aos cofres públicos em 10 anos. Os dados são de um levantamento publicado no jornal O Globo.

Essas categorias não constam da proposta que tramita no Congresso e altera as regras para os futuros servidores. Para membros do Poder a economia estimada pelo levantamento chegaria a R$ 14,1 bilhões em dez anos.

Já o maior impacto estaria ligado à inclusão de militares, com 334 mil na ativa. A economia poderia ser R$ 17,3 bilhões no mesmo período apenas com reajustes menores.