O presidente do PSL em Mato Grosso, Aécio Rodrigues, afirmou que não há dúvidas para o partido quanto à legitimidade do pecuarista Gilberto Cattani para ocupar a cadeira deixada pelo deputado Sílvio Fávero (PSL) na Assembleia Legislativa.

Fávero morreu no último sábado (13), vítima da Covid-19, e a vaga é disputada por Cattani e o empresário Emílio Populo, da Viação Juína.

“Nosso objetivo é garantir a vaga do PSL, mas acredito que não tem discussão sobre isso, porque o primeiro suplente natural é o Gilberto Cattani, que já é diplomado pela Justiça Eleitoral”, afirmou Aécio.

Diplomado pela Justiça Eleitoral como primeiro suplente do PSL, Cattani deixou o partido no ano passado para ingressar no PRTB, sigla pela qual se uniu ao candidato ao Senado Reinaldo Morais (PSC) e figurou como suplente na chapa.

O principal argumento de Emílio é de que Cattani “traiu o partido” e não poderia ocupar a vaga. Caso ele tome posse, o empresário promete ingressar com uma ação na Justiça Eleitoral.

O primeiro suplente diplomado pela Justiça Eleitoral é o Gilberto Cattani. Então, independente de qual partido ele esteja filiado, ele tomaria posse. Ele já foi diplomado e toma posse

Segundo o presidente estadual do PSL, o pecuarista retornou à antiga legenda em 22 de fevereiro deste ano, mas a atualização da sua certidão de filiação partidária apenas deverá ser atualizada em abril deste ano.

“O primeiro suplente diplomado pela Justiça Eleitoral é o Gilberto Cattani. Então, independente de qual partido ele esteja filiado, ele tomaria posse. Ele já foi diplomado e toma posse”, explicou.

“A certidão de filiação dele só vai acontecer em abril, quando a lista é processada. Hoje a certidão dele vai constar o PRTB, mas já foi inclusa anteriormente a filiação dele ao PSL”, completou.

Aécio ainda disse que lamenta se houver qualquer conflito entre os dois suplentes e afirmou que o momento é delicado, pelo partido ainda viver o luto da perda do correligionário.

No entanto, ele salientou que o objetivo do partido é um só: garantir que a vaga seja do PSL.

“Hoje o partido está em harmonia e o nosso objetivo é trabalhar todo mundo junto”, disse.