Olhar Direto

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) lamentou a decisão judicial que determinou o afastamento do secretário Antenor Figueiredo da Mobilidade Urbana (Semob). Afirmou, no entanto, que a saída do gestor já estava prevista e que ele seria substituído por Juares Samaniego, que estava no comando do Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano e Sustentável. A mudança acabou sendo antecipada, por conta da Operação Sinal Vermelho, deflagrada na quarta (05).

Emanuel revelou que já tinha conversado com os secretários, já que tem, aos poucos, realizado algumas trocas na sua equipe. “Tanto o Juarez sabia que iria para a Semob, quanto o Antenor tinha conhecimento que deveria ser aproveitado em outra Pasta ou ficar numa ação de mais articulação política, para dar a reoxigenação necessária na gestão”.

O prefeito conta que a troca deveria ocorrer apenas na segunda quinzena de junho, após a Semob entregar 100 novos ônibus, equipados com ar condicionado. “Ele até iria comigo a Curitiba verificar a carcaça dos veículos. Fui bem coração com ele. Está previsto de entregar dia 14 e ele sairia dia 15 ou 16”.
O emedebista também destaca que Juares tem perfil técnico e que foi remanejado para a Semob de forma estratégica. “Quero ele a frente da mobilidade urbana usando toda sua experiência técnica na luta pelo VLT. Era previsto, mas infelizmente aconteceu isso”.

Ao lamentar a decisão que afastou Antenor por 180 dias, o prefeito reforça sua confiança no ex-secretário (exonerado após a deflagração da operação). “É um servidor público da minha total confiança, quase 40 anos de serviço público e nenhum PAD ou mácula. Como prefeito e amigo só posso lamentar, mas preciso registrar que a prefeitura sempre terá uma postura colaborativa em toda e qualquer ação”.

Operação 

Antenor foi afastado do cargo por determinação da Justiça. A ação faz parte da operação ‘Sinal Vermelho’, deflagrada na manhã desta quarta-feira (05), pela Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (DECCOR), após a conclusão dos trabalhos investigativos envolvendo a rede de semáforos adquiridos pela Prefeitura da Capital.  O dano ao erário seria de aproximadamente meio milhão de reais.