O vereador Marcos Paccola (Cidadania), um dos que flagraram pilhas de caixas de medicamentos vencidos da Prefeitura de Cuiabá, na última sexta-feira (23), se surprendeu com a quantidade do desperdício.

“É muita coisa. Não dá nem pra descrever como é. É quase um corredor de Atacadão de paletes de medicação vencida, de cima a baixo”, comparou.

Os medicamentos foram encontrados estocados no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá (CDMIC).

Paccola participou da fiscalização no local junto com os parlamentares Diego Guimarães e Maysa Leão, também do Cidadania, após receber uma denúncia.

“Tem medicamento de UTI, tem fio cirúrgico. Tem coisa que constantemente é alvo de reclamação por estar em falta nas unidades de saúde e tinha alí disponível, mas agora tá vencido. É algo que não tem justificativa”, criticou.

Segundo ele, a primeira denúncia foi feita na semana passada e ele esteve no local acompanhado da colega Maysa, mas os coordenadores da unidade negaram a existência de lotes vencidos no local.

“Eles disseram que a última medicação vencida tinha sido descartada em março de 2020, que eles não tinham nada previsto para descarte, dando a entender que não teria medicação vencida lá dentro”, relatou.

É muita coisa. Não dá nem pra descrever como é. É quase um corredor de Atacadão de paletes de medicação vencida, de cima a baixo. Isso só do que estava dentro do CDMI

Segundo Paccola, primeiro eles encontraram caixas de remédios empilhadas em uma sala de aproximadamente 40m², reservada para descarte.

Ele ressaltou, porém, que a quantidade encontrada era “absurda” e superava o 1% normalmente previsto de perda, sendo cerca de “oito paletes bem altos de medicamentos”.

“Eram muitas caixas, mas eram muitas, muitas mesmo. Só de amoxicilina, em umas filmagens que a gente fez das caixas ali, imaginamos que seja algo pra mais de 20 mil unidades”, relatou.

Os parlamentares decidiram acionar a Delegacia de Combate à Corrupção (Deccor) e o Ministério da Saúde – sendo que este último encaminhou um auditor até o local.

Do lado de fora do CDMIC, no galpão do patrimônio, mais caixas de medicamentos vencidos foram encontrados, mas em menor volume do que o vistoriado dentro do CDMIC, de acordo com o vereador.

REMEDIOS
Medicamentos vencidos foram flagrados por vereadores no Centro de Distribuição gerenciado pela Prefeitura de Cuiabá

Investigação da Deccor

Um inquérito foi aberto pela Polícia Civil e será conduzido pelo delegado Eduardo Botelho, titular da Deccor que já adiantou que deverá ouvir os respónsáveis pelo CDMIC e a secretária de Saúde de Cuiabá, Ozenira Félix.

“A Deccor vai apurar porque que essa medicação venceu, se ela foi adquirida já muito próximo do vencimento, que pode ser uma das possibilidades na compra do medicamento; se houve uma negligência deles, porque é medicamento de uso contínuo”, disse Paccola.