Por Bianca Botter Zanardi

A circulação de Fake News, notícias falsas ou fraudulentas aptas a enganar o receptor e influenciar seu comportamento, traz prejuízos difíceis de mensurar. Na última semana a população de Cuiabá vivenciou os efeitos negativos da disseminação da desinformação.

No dia 24 de março circulou pelo WhatsApp um calendário falso de vacinação com datas nas quais seriam aplicadas as doses para todas as idades em Cuiabá. A mensagem direcionava para o portal oficial disponibilizado pela Prefeitura para o cadastro da vacinação.

Com o link oficial e a esperança da vacinação gerada por uma notícia falsa, o sistema recebeu uma enxurrada de acessos e teve problemas. O site, que costuma ter uma média diária de 15 mil visitas, recebeu mais de um milhão de acessos neste dia.

O caos provocado pela Fake News gerou aglomeração indevida no Centro de Eventos do Pantanal, que é o ponto de vacinação contra a covid-19. Muitas pessoas foram até o local na tentativa de se vacinar ou conseguir agendamento, motivadas pelas informações falsas que circularam naquele dia. Alguns agendamentos foram perdidos com a instabilidade do sistema e outras pessoas com hora marcada não conseguiram se vacinar.

Além do tumulto no local de vacinação e congestionamento no portal eletrônico, a informação incorreta ainda repercute e precisa ser esclarecida. Também foi identificado ataque de hackers, o que gera ameaça aos dados públicos de segurança.

Diante dos prejuízos gerados, a Procuradoria-Geral do Município de Cuiabá acompanhou o registro do Boletim de Ocorrência, nesta quinta-feira (25), junto à Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Informáticos (DRCI) e a protocolização do Ofício nº 538/2021/GPEP direcionado ao delegado Ruy Guilherme Peral, da DRCI.

É possível punir a veiculação de notícias falsas quando ela é utilizada para cometer outra infração. No caso do calendário falso, foram denunciados o ataque de hackers, o uso indevido do logotipo de prefeitura e a perturbação da ordem e paz pública, diante da interrupção do serviço que trouxe prejuízo para coletividade e para o ente municipal que precisou destinar esforços para regularizar o sistema, organizar os locais de vacinação e refazer os cadastros.

É lamentável que tenhamos que dedicar tantos esforços para conter os efeitos da divulgação de Fake News em um período de dúvidas e de isolamento, em que as informações instantâneas ganham mais importância. A pandemia, por si só, já traz medo e insegurança. Não podemos disseminar mais incertezas.

Desconfie de mensagens apelativas, com informações espetaculosas ou que fogem do comum. Sempre confira a informação em sites de confiança, de preferência os sites oficiais dos governos e organizações de saúde, como o site do Ministério da Saúde, da Secretaria Estadual de Saúde e da Prefeitura de Cuiabá. E jamais compartilhe informações que você não tem certeza que sejam verdadeiras. O desserviço pode trazer muitos prejuízos para você e sua cidade.

Bianca Botter Zanardi é jornalista e advogada, procuradora do município de Cuiabá, mestranda em Direito pela UFMT e diretora de relações institucionais da Uniproc. Contato: bianca.zanardi@cuiaba.mt.gov