Apesar de ter tomado posse no segundo mandato há pouco mais de 4 meses, a situação vai ficando cada vez mais complicado para Emanuel Pinheiro. Nesta quarta-feira, mais um secretário municipal foi afastado, por suspeita de desvio de dinheiro público. Este já é o quinto auxiliar do prefeito que deixa o cargo por imposição da justiça.

 

Vereadores da oposição acusam a atual administração de estar “manchada pela corrupção”. Além de Antenor Figueiredo, alvo da Operação Sinal Vermelho, exonerado por conta da investigação dos semáforos eletrônicos, também foram afastados na atual gestão, o secretário de Saúde, Huark Douglas Correa, que chegou a ser preso na Operação Sangria, o secretário de Educação, Alex Vieira, além do procurador-geral do município, Marcos Brito, estes dois últimos em função de uma outra operação, a Overlap. Fechando a lista de quem recebeu cartão vermelho, um outro secretário de Saúde, Luiz Antonio Possas de Carvalho, sob suspeita de superfaturamento na compra de Ivermectina.
As denúncias contra todos os secretários afastados se referem a má aplicação ou desvio de recursos públicos. É muita coisa para uma única administração. Afinal, em termos comparativos apenas
para ilustrar, usando uma modalidade esportiva, com todas essas exonerações, daria para formar um time completo de futsal.