Cuiabá e Várzea Grande devem anunciar nesta segunda-feira (1º) medidas restritivas mais rígidas para o controle do contágio pelo novo coronavírus. O anúncio vem sendo esperado desde sábado (27), após um pedido feito à Justiça pelo Ministério Público de Mato Grosso. 

Duas reuniões, além do anúncio da Justiça, estão programadas para hoje. Os prefeitos Emanuel Pinheiro e Kalil Baracat devem alinhar as ações que serão tomadas, ambos tentando contornar um eventual novo fechamento do comércio. 

Conforme divulgado na sexta-feira (26) pelo LIVRE, a Prefeitura de Várzea Grande já vinha analisando medidas, como proibir a venda de bebida alcoólica gelada por distribuidoras e bares, como alternativa para reduzir as aglomerações de pessoas. Até então, não era cogitado fechar os estabelecimentos não essenciais. 

A Prefeitura de Cuiabá também passou a avaliar novas medidas, após a reunião do comitê municipal de enfrentamento à pandemia. Emanuel Pinheiro enviou para a Câmara dos Vereadores um projeto de lei que estabelece fiscalização mais rígida de alguns segmentos, também para evitar o fechamento. 

Hoje, as escolas privadas em Cuiabá reabriram as portas, quase um ano após o primeiro decreto, no fim de março de 2020, que paralisou a maior parte das atividades econômicas. 

Medidas contra o lockdown

No sábado, Emanuel Pinheiro também divulgou a entrada de Cuiabá na frente dos prefeitos das Capitais. A ideia é a criação de um consórcio que representará ao menos 10 cidades interessadas na compra direta de vacinas disponíveis no mercado.  

A estratégia, segundo o prefeito, é complementar a distribuição de doses fornecidas pelo Ministério da Saúde, para acelerar o avanço da campanha de imunização contra a covid-19. 

Governo do Estado

Ainda nesta segunda-feira, à tarde, o governador Mauro Mendes (DEM) deve reunir os 141 prefeitos de Mato Grosso – em encontro online – para discutir novas restrições de circulação de pessoas.

A decisão do governo de readotar algumas medidas foi anunciada no fim de semana, após a avaliação de piora da taxa de ocupação dos leitos da rede estadual contra pandemia. Ela chegou 80%.   

Paralelamente, o Ministério Público já havia pedido à Justiça para ordenar que Cuiabá e Várzea Grande adotem medidas mais rígidas. A expectativa é que a decisão sobre o recurso saia nesta segunda-feira.