Equipes do Ministério Público Estadual (MPE) estiveram, na manhã desta quinta-feira (22), na sede da Vigilância Sanitária do Município de Cuiabá em busca de documentos e dados sobre a vacinação contra a Covid-19 na Capital.

O levantamento vai subsidiar uma investigação que ocorre por meio de procedimento instaurado pela 36ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa de Cuiabá.

Segundo o MPE, a equipe verificou a quantidade de vacinas disponíveis contra a Covid.

Segundo o promotor de Justiça Clóvis de Almeida Júnior, além da contagem do número de vacinas disponíveis, o órgão também busca informações sobre quantidades reservadas para a primeira e segunda dose das vacinas; capacidade de vacinação diária do Município em cada ponto de vacinação; e cronograma para aplicação da primeira e segunda doses de acordo com os quantitativos reservados pelo Município.

Durante a inspeção, também foram obtidos documentos sobre o andamento da vacinação.

O procedimento, conforme o promotor de Justiça, busca ampliar a transparência na gestão da vacinação, evitar o represamento de imunizantes, bem como a ocorrência de prejuízos sociais, que podem acarretar, inclusive, a responsabilização por atos de improbidade administrativa pelos gestores públicos.

52 mil doses não aplicadas

Nesta semana, reportagem do MidiaNews revelou que das 139.737 doses da vacina contra Covid-19 recebidas por Cuiabá até o momento, 52.597 ainda não foram aplicadas.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, as mais de 52 mil doses ainda disponíveis serão usadas para primeira dose de trabalhadores da saúde e idosos acima de 65 anos.

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, as duas últimas remessas de vacinas que chegaram à Capital foram reservadas para aplicação da segunda dose.