A vereadora Maysa Leão (Cidadania) usou a tribuna virtual durante sessão ordinária desta quinta-feira (27) para criticar os colegas e cobrar a participação dos demais vereadores na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Medicamentos. Para a parlamentar, os vereadores têm usado as sessões para discutir pautas políticas e deixando de lado, assuntos importantes como a crise sanitária e o sistema de saúde da Capital

Na pauta da sessão desta última quinta-feira(27) foram votadas diversas honrarias, dentre elas uma moção de aplausos ao presidente Jair Messias Bolsonaro, inserida no último minuto pelos vereadores Kássio Coelho e Juca do Guaraná, causando tumulto e ampliando o tempo da sessão em mais 40 minutos de bate-boca. A moção foi inserida no final da ordem do dia, já com a percepção dos propositores de que a proposta seria alvo de discussão.

De acordo com a vereadora, o tempo que foi perdido com esse ato seria precioso para discussão do andamento da CPI e de pautas como a vacinação das gestantes, puérperas e lactantes, apresentado pela vereadora e que até então não foram votados, além de outros assuntos que afetam diretamente a vida da população que reside em Cuiabá.

A vereadora alertou os colegas sobre o quórum vazio na sessão da CPI, que contou com a participação de menos de 10 vereadores, contando com os 3 membros titulares. “Em um momento tão grave que estamos vivendo, ninguém esteve na CPI, ninguém está preocupado com as pautas de Cuiabá. Essa discussão entre Bolsonaro e Lula, isso já passou do ponto. Estamos vivendo uma pandemia, a situação é caótica e não vejo os vereadores da Casa se envolvendo. Meu repúdio a forma como apresentaram essa moção hoje, independente do alvo da moção, a forma foi errada”.

Maysa ainda indagou sobre as afirmações mentirosas do ex secretário de saúde, que nem sequer foi advertido durante a oitiva por faltar com a verdade. “Muitas perguntas do período em que ele esteve à frente da SMS, ficaram sem respostas”, ainda disse a parlamentar.