Na expectativa de “vender” um Estado próspero e decidido em garantir o apoio para trazer a industrialização, o governador Mauro Mendes (DEM) começou a divulgar em larga escala a vitalidade financeira de sua gestão e o robusto caixa que garantiriam os investimentos em logística e também em ações sociais.

O problema é que o excesso de saldo com muito dinheiro em caixa, acabou despertando a ira dos servidores que querem recompor as perdas inflacionárias dos salários.

Em função disso, o governador passou a bola para o secretário de Planejamento e Gestão, Basílio Bezerra, que pelo menos até agora não conseguiu executar a tarefa que foi passada a ele por Mauro Mendes.