As cobranças são enormes, mas infelizmente continua faltando muita sensibilidade política ao prefeito Emanuel Pinheiro. A primeira parcela e o pagamento à vista do IPTU venceram nesta quarta-feira, 14 de abril, mas não se falou absolutamente nada sobre a prorrogação do imposto em Cuiabá.
Já em Várzea Grande, que tem uma arrecadação bem menor, quando comparada à capital, existem boas chances que o mesmo imposto poderá ser prorrogado pelo prefeito Kalil Baracat. A secretária de Gestão Lucinéia dos Santos, não confirmou, mas deixou aberta esta possibilidade, ao afirmar que o assunto está sendo analisado.
Já o governo de Mato Grosso, decidiu abrir mão de 26 milhões de reais de arrecadação e anunciou a isenção do IPVA para quase 550 mil proprietários. Serão beneficiados aqueles setores mais afetados pela pandemia, como bares, restaurantes, eventos, turismo, transporte escolar, hotéis e similares, além de motoristas de aplicativos.
Várzea Grande e o Governo de Mato Grosso, dão bons exemplos, demonstrando que estão preocupados com as dificuldades que estão sendo enfrentas por trabalhadores e pequenos empresários. É uma pena que Cuiabá preferiu não seguir o mesmo caminho, no sentido de pelo menos prorrogar o pagamento do IPTU, principalmente se levarmos em conta que o discurso que se faz é de que as contas estão equilibradas no Palácio Alencastro. Ou será que não estão?