Vereador Lilo Pinheiro (PDT) – primo do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) – afirmou em entrevista à Rádio CBN Cuiabá, nesta sexta-feira (30), que, ao contrário das críticas feitas pela oposição, a CPI que irá apurar os medicamentos vencidos no depósito da Prefeitura de Cuiabá terá uma “composição equilibrada” e dará resultados concretos.

Autor do requerimento para instauração da CPI, Lilo defendeu ser necessário equilíbrio na apuração do caso, que foi denunciado pelos vereadores Diego Guimarães (licenciado), Maysa Leão e tenente-coronel Marcos Paccola, todos do Cidadania, no dia 23.

Vamos buscar o equilíbrio. Eles têm que ter o discernimento que uma CPI formada só para vereadores da oposição também não é equilibrada. E eu defendo a composição da CPI de forma equilibrada, inclusive respeitando a bancada partidária

“Vamos buscar o equilíbrio. Eles têm que ter o discernimento que uma CPI formada só para vereadores da oposição também não é equilibrada. E eu defendo a composição da CPI de forma equilibrada, inclusive respeitando a bancada partidária”, afirmou.

O anúncio da criação da CPI com ampla adesão da base do prefeito pegou os vereadores de oposição de surpresa na última terça-feira (27). Logo após o anúncio,  Diego declarou que a ação seria uma “manobra da base” para garantir que tudo acabasse em “pizza”.

Lilo, que defendeu ter se mantido de forma independente desde a legislatura anterior, afirmou que seguirá atuando de forma “parcial, serena e justa” durante as investigações da CPI.

“Pode ter certeza, essa CPI dará resultado. Onde aconteceu o erro, vai ser mostrado e corrigido e a produção documental será encaminhada aos órgãos de controle”, disse.

“Agora, não vou admitir durante a CPI que alguém use termos pejorativos, querer humilhar alguém que estiver depondo. Essa não é a minha forma de trabalho”, completou.

O pedetista negou que o trabalho exercido pela Comissão poderia ser em vão, ainda que, caso o resultado seja desfavorável ao Município, o encaminhamento poderia ser barrado uma vez que precisa passar pelo plenário – formado em sua grande maioria por vereadores aliados ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

“O Parlamento é pautado pelo princípio da democracia e quem conseguir, em uma articulação política, obter os votos necessários para uma determinada matéria, é de fato aquilo que temos que respeitar”, desconversou.

O vereador ainda criticou a forma de atuação de alguns parlamentares, sem citar nomes, afirmando ser necessário ter cautela ao se pronunciar sobre determinados assuntos, principalmente nas redes sociais.

“O parlamentar tem que equilibrar o uso da sua palavra, porque a nossa palavra tem peso, convence. Muitas pessoas nos seguem e temos que ter muita responsabilidade. Depois que a palavra é dita, principalmente nas redes sociais, a repercussão é gigantesca”, disse.