O prefeito de Várzea Grande Kalil Baracat (MDB) deve adotar medidas mais rigorosas para frear o avanço do novo coronavírus na cidade. Em novo decreto, publicado na quinta-feira (25), o governador Mauro Mendes (DEM) recomendou que a Cidade Industrial estabeleça quarentena coletiva obrigatória, barreira sanitária e outras medidas.

Kalil está reunido com Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus (COVID-19) para definir as ações.

“O Comitê está reunido neste momento para anunciar quais medidas serão adotadas. Devem ser medidas mais rigorosas”, informou sua assessoria nesta sexta-feira (26).

No novo decreto do Estado, o governador estabeleceu um sistema de classificação de risco, que recomenda as medidas mais adequadas aos municípios, de acordo com o nível de contágio.

Por meio desse sistema, Várzea Grande e outras 49 cidades aparecem com alto risco de contaminação pela Covid-19. Esse é o grau máximo. Antes, há as classificações de nível baixo, moderado e alto.

No nível de risco muito alto, em que aparece Várzea Grande, Mendes recomenda quarentena coletiva obrigatória no território do Município, por períodos de 10 (dez) dias, prorrogáveis, mediante reavaliação da autoridade competente, podendo, inclusive, haver antecipação de feriados para referido período.

Pede, ainda, o controle do perímetro da área de contenção, por barreiras sanitárias, para triagem da entrada e saída de pessoas, “ficando autorizada apenas a circulação de pessoas com o objetivo de acessar e exercer atividades essenciais”.

Além disso, determina a suspensão de aulas presenciais em creches, escolas e universidades.

Por fim, pede a manutenção do funcionamento apenas dos serviços públicos e atividades essenciais.

Apesar de o decreto não ser impositivo, Mendes ressaltou que se as cidades não cumprirem as regras, caberá aos órgãos de controle a adoção das medidas cabíveis.