Senador Jayme Campos (DEM) negou ter convidado o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), para se filiar ao Democratas, partido de seu arqui-inimigo, governador Mauro Mendes.

Jayme revelou em entrevista ao Jornal do Meio Dia, na TV Vila Real, nesta terça-feira (1), que de fato se reuniu com Emanuel para um jantar, no último final de semana. Mas disse que foi Emanuel quem questionou a ele e ao irmão, o ex-senador Júlio Campos, sobre a possibilidade de integrar a sigla. E, definitivamente, não ao contrário.

Ao lembrar que o DEM já teria como o certo a reeleição do governador Mauro Mendes(do mesmo partido).

“Eu tenho 70 anos, mas estou lúcido, perfeito. Vários assuntos foram conversados e no decorrer do encontro Emanuel indagou ao Júlio e a mim sobre como víamos a vinda dele para o DEM […] E eu respondi: ‘Ora, normal. Até porque eu sempre fiz política ciscando para dentro. Eu não tenho nada contra o senhor”, contou Jayme.

Não teria nenhum fundamento ter o Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro no mesmo partido. É a mesma coisa que água e óleo. Não dá
O senador ainda lembrou que ponderou ao prefeito que não teria fundamento integrar um partido, onde estaria o seu maior seu adversário político e um dos líderes da executiva, ao se referir ao chefe do Executivo estadua, Mauro Mendes (DEM), com quem Emanuel vive às turras.

“Isso é uma decisão partidária. Não teria nenhum fundamento ter o Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro no mesmo partido. É a mesma coisa que unir água e óleo. Não dá”, afirmou.

Nos bastidores, a investida do prefeito foi vista como ele se oferecendo para se filiar à sigla. Aliás, não é a primeira vez que Pinheiro brinca com as palavras e deixa dirigentes do DEM em uma ‘saia justa’, aproveitando-se da longa amizade que tem, por exemplo, como a família Campos e ainda com o deputado estadual e primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho.

Contudo, tem sempre que amargar, dias depois, estes mesmos dirigentes desmentindo-o, como fez, recentemente, o ex-governador democrata, Júlio Campos, que chegou a mandar um recado para Pinheiro, que ele não confundisse elegância com acordo e que quando participa de algum evento patrocinado pelo prefeito da capital, o faz com político e amigo de longas datas, mas que não haveria, por trás destas participações, articulações, mas apenas gentileza.

Futuro incerto

Desde o fim da eleição municipal de 2020, uma possível mudança de partido por parte de Emanuel vem circulando na imprensa. À época, Emanuel se mostrou descontente com o comportamento de parte do MDB, com a falta de apoio a sua candidatura à reeleição.

Por sua vez, havia rumores de que Mendes também poderia deixar o DEM. A possibilidade, no entanto, foi descartada pelo ex-senador Júlio Campos em uma reunião recente entre os democratas.