A 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) adiou o julgamento de um recurso especial movido pelo ex-deputado estadual Gilmar Fabris contra a condenação que o tornou inelegível.

Com isso, o sonho de retornar ao cargo de deputado continua um pouco distante. Isso porque Fabris ficou impedido de assumir a vaga por ser considerado ficha suja em uma condenação de 2ª instância.

Em função disso, o deputado Allan Kardec (PDT) assumiu a vaga, já que era o próximo da fila em termos de voto na chapa de 2018.

Fabris foi condenado a seis anos e oito meses de prisão, e ao pagamento de 133 dias-multa pelo envolvimento no esquema criminoso que desviou R$ 1,5 milhão da Assembleia Legislativa em 1996, quando era presidente da Casa.