Agente do Gaeco durante busca e apreensão (Foto ilustrativa)
Olhar Direto

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público de Mato Grosso, deflagrou nesta quinta-feira (27) a operação “Zircônia”, que em como alvo integrantes de uma organização criminosa sob investigação especializada na oferta, realização de cursos e emissão de diplomas, históricos escolares e certificados de conclusão de cursos de ensino superior sem a devida autorização do Ministério da Educação (MEC).

Existem indícios da utilização fraudulenta do nome de outras instituições de ensino superior na emissão de diplomas e históricos escolares falsos.

Ao todo, estão sendo cumpridos cerca de 50 ordens judiciais, sendo 19 mandados de busca e apreensão em Cuiabá e Várzea Grande e um no estado de Minas Gerais.

Também ocorrerá sequestro judicial de oito veículos dos investigados e bloqueio de contas bancárias no montante de R$ 910 mil reais. A operação cumpre ainda notificação judicial de medidas cautelares diversas da prisão, dentre elas de monitoração eletrônica (tornozeleira eletrônica).

A deflagração da operação “Zircônia” conta com a participação de integrantes do Gaeco da Capital e das unidades regionais de Sorriso, Cáceres e Rondonópolis e apoio do Grupo Operacional Permanente do Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco – Criminal) e da Delegacia Especializada no Combate à Corrupção (Deccor). O Gaeco é composto por membros do Ministério Público Estadual (MPMT), da Polícia Judiciária Civil (PJC-MT) e da Polícia Militar (PM-MT).

Nome da operação

Zircônia é uma pedra muito parecida com o diamante. A diferença entre as duas é difícil de ser identificada por pessoas que não são especialistas no assunto, a exemplo das instituições investigadas na operação.

(Da Assessoria)