O Exército já está auxiliando a Polícia Rodoviária Federal (PRF) na escolta de caminhões-tanque, com perecíveis ou cargas vivas que passam pela BR-364, na região do Distrito Industrial, em Cuiabá. A tropa deve permanecer no local até o encerramento da greve dos caminhoneiros que ainda está sendo negociado pelo governo federal. A informação foi confirmada pela 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, responsável pelo comando em Mato Grosso.

Os caminhões do Exército estão estacionados nas imediações do Posto São Matheus. O efetivo está de prontidão para agir sempre que o comando considerar necessário.

Os integrantes da 13ª Brigada de Infantaria Motorizada devem seguir a orientação do comandante do Exército, general Eduardo Vilas Bôas, divulgada neste domingo (27) pelo Twitter. Segundo o oficial, a “diretriz operacional” para atuação de militares no desbloqueio de rodovias é negociar para “evitar conflitos”.

“Desejamos, o mais rápido possível, a solução desse desafio, a fim de mitigar as dificuldades crescentes da população. “Reafirmamos como diretriz operacional o foco no bem-estar social e na perene negociação para evitar conflitos entre os atores diretamente envolvidos”, escreveu o general.

O presidente da República Michel Temer (MDB) assinou na sexta (25) decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), que alcança todo o território nacional, com validade até 4 de junho. O decreto permitiu que Exército, Marinha e Aeronáutica atuem para desobstruir rodovias pelo país, o que inclui Mato Grosso.

No sábado (27), Temer assinou outro decreto, que permite ao governo assumir o controle de caminhões para liberar as rodovias. A medida é chamada de requisição de bens.

Mesmo com as medidas anunciadas por Temer atendendo as reivindicações dos caminhoneiros, a categoria ainda mantém os manifestos em 30 trechos nas rodovias federais e estaduais de Mato Grosso, na manhã desta segunda (28). A PRF não informou os locais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here