Decreto que restringe o funcionamento de bares e restaurantes afeta as famílias dos músicos, que ficam sem renda.

A Ordem do Músicos do Brasil em Mato Grosso (OMB-MT) encaminhou uma carta ao governador Mauro Mendes (DEM) pedindo a análise dos reflexos do decreto que restringe o funcionamento de bares e restaurantes nas famílias dos músicos e ainda que ele visite a casa de um profissional da casa durante esse período de medidas restritivas por causa da pandemia.

“Pedimos ao governador de MT que visite a residência de qualquer músico ou profissional do setor noturno para verificar e se certificar de como os decretos estão despedaçando muitas vidas sob a justificativa de se estar salvando outras”, diz trecho do documento.

Desde a decretação de restrições aos horários de funcionamento dos bares e restaurantes, a categoria artística tem realizado diversas manifestações contrárias e diz que tenta um diálogo com o governador para achar um “meio termo”.

Na semana passada, eles realizaram um ato na Praça das Bandeiras para pedir socorro ao governador.

Ao G1, o músico e presidente OMB-MT, Wellington Berê, disse que a categoria espera solucionar e amenizar a preocupação das famílias dos artistas e profissionais da música.

O documento critica os eventos clandestinos.

“Se há eventos clandestinos não é razoável penalizar cidadãos que seguem as leis e geram riqueza. Enquanto seus cidadãos forem submetidos a embarcar em transporte público superlotado e filas em agências bancárias, não é coerente impedir que trabalhadores conquistem o pão de cada dia formalmente seguindo as medidas sanitárias.”, descreve trecho da carta.

O setor ainda pede que o estado invista em campanhas de orientação para demonstrar o drama de famílias que perderam entes queridos e reforcem a importância dos cuidados, mas que reabra o setor noturno “para que possa restabelecer a dignidade de quem não pode ficar em casa humilhado diante da família e sociedade sem ter meios de alimentar seus filhos”.

Auxílio emergencial
Artistas seguram cartazes pedindo reabertura de bares e restaurantes — Foto: OMB-MT/Divulgação
Artistas seguram cartazes pedindo reabertura de bares e restaurantes — Foto: OMB-MT/Divulgação

O presidente do Conselho Federal da Ordem dos Músicos do Brasil, Gerson Ferreira Tajes, também encaminhou um ofício ao governo do estado solicitando a criação de um auxílio emergencial em favor dos músicos de Mato Grosso no valor de R$ 1000 mil.

O documento foi entregue à Secretaria de Estado de Cultura. No documento, Gerson citar que, em decorrência das necessidades de distanciamento social, são necessárias medidas eficazes para a diminuição do contágio, mas que as ações adotadas até agora ocasionaram a suspensão das atividades musicais em bares, restaurantes, shows e outros, e acarretaram perdas incalculáveis.

“Venho pedir ao nobre governador a criação de programa de auxílio emergencial em favor dos músicos no valor de R$ 1.000 auxílio que garantirá o sustento de suas famílias até a normalidade voltar. Coloco-me à sua disposição juntamente com o representante da Ordem dos Músicos do Brasil no estado do Mato Grosso para auxiliar na fiscalização e orientação aos estabelecimentos comerciais, bares e restaurantes, casas noturnas e outros no combate inerente a prevenção da Covid-19”, diz.

Em nota, a Secretaria de Cultura diz que a carta e o ofício já estão sendo apreciados pelo secretário Alberto Machado.

Segundo a OMB- MT, em Mato Grosso são aproximadamente 4 mil músicos cadastrados e na pandemia sendo assistidos pelas campanhas solidárias.