Agente do Gaeco durante busca e apreensão (Foto ilustrativa)

O Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) deflagrou na manhã desta quinta-feira (20), em Rondonópolis, a operação Esforço Comum, que investiga suspeitas de irregularidades na contratação, pela Prefeitura, de serviços terceirizados pela empresa Coopervale (Cooperativa de Trabalho Vale do Teles Pires).

Serão cumpridos 36 mandados de busca e apreensão domiciliar e pessoal, sendo um dos mandados de busca e apreensão na cidade de Japorã (MS) e outros dois na cidade de Guaíra (PR), onde a Coopervale também possui sede.

As investigações revelaram que a cooperativa firmou contrato com diversos municípios mato-grossenses e estendeu sua atuação para outros estados.

Contudo, há indícios de que houve prévio ajuste para contratação da cooperativa, ao menos junto ao município de Rondonópolis, que resultou no pagamento de mais de R$ 67 milhões pela prestação de serviços.

Recentemente, o TCE-MT determinou que Rondonópolis se abstivesse de contratar a Coopervale, em razão de inúmeras irregularidades constatadas no contrato.

Além disso, indícios apontam que vários indivíduos são utilizados como prováveis “laranjas” para devolução desses valores para agentes públicos – e outros particulares possivelmente que estejam atuando na “lavagem de dinheiro”.

A ação conta com o apoio operacional do Gaeco de Cuiabá e todos os outros Gaecos regionais. Também auxiliam no cumprimento das medidas efetivo da Polícia Militar e da Polícia Judiciária Civil.