logo

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), desistiu de se vacinar contra a covid-19 nesta segunda-feira (17), após ter detectado que  sua hipertensão seria leve, já que toma apenas uma medicação. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa que aguardava a imunização do chefe do Poder Executivo da Capital.

“Eu tenho orientado a minha equipe seguir rigorosamente a guia de prioridade do Ministério da Saúde. E nessa guia de prioridade, a minha hipertensão é considerada a leve. Ela não é uma hipertensão seguida de dois ou 3 medicamentos. só tomo [um medicamento] desde os 28 anos. Ou seja, o prefeito é saudável. Então, mediante isso, eu não posso tomar, não sou eu que vou promover um fura  fila em Cuiabá”, declarou Emanuel Pinheiro.

Pinheiro disse que aguardará a sua apesar de entender que presidente da República, governadores e prefeitos deveriam ser os primeiros a votar. “Por dois motivos: primeiro pra dar o exemplo e estimular todos a vacinarem. E segundo, porque são figuras públicas postas, que respondem pela liderança da sua cidade, do Estado e da nação, e tão constantemente em papo com a população. Mas o Ministério da Saúde não entendeu assim”, afirmou.

Após a desistência Emanuel Pinheiro anunciou a vacinação a partir desta terça-feira (18) de todos os profissionais de Assistência Social e também que irá abrir o cadastramento de todos os jornalistas de Cuiabá. “Já entrei em contato com o Sindicato dos Jornalistas (Sindjor) e quero abrir já amanhã o levantamento para a vacinação de todos os jornalistas de Cuiabá. Eu entendo também pela atividade que vocês exercem, também deve ter essa prioridade. Me parece que é mais ou menos 500”, completa.

O gestor também pediu para iniciar a vacinação de pessoas com comorbidade/idade, estabelecendo um cronograma, para avançar na imunização da população.  Emanuel Pinheiro acredita que isso poderá acelerar a população com a chegada de novas vacinas, e fazer com que o município atenda todas as idades o mais rápido possível.