O deputado estadual Dilmar Dal Bosco, que é também líder do governo na Assembléia Legislativa, ofereceu em garantia uma fazendo avaliada em quase 8 milhões de reais, depois que foi denunciado pelo Ministério Público Estadual. Na operação Rota Final, desencadeada pelo Gaeco, foi determinado um bloqueio de 5,1 milhões de reais do parlamentar.

 

De acordo com a investigação, o esquema consistia em que agentes públicos, políticos e empresários, por intermédios de fraudes, evitassem a realização de uma licitação para o transporte coletivo intermunicipal. O Gaeco, Grupo de Combate ao Crime Organizado, denunciou ainda que foram feitos pagamentos milionários de propina.
O deputado Dilmar Dal Bosco, que costumava participar das sessões da Assembleia de forma presencial, nesta quarta-feira, preferiu fazer isso de maneira virtual. Mas é claro, o fato foi minimizado pelos colegas. Sobre a continuidade ou não dele na liderança do governo, a informação é que essa decisão cabe ao Palácio Paiaguás.