Vereador de oposição, Diego Guimarães (Cidadania) classificou como desrespeito ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o consórcio pró-vacina, que deve contar com a adesão da Prefeitura de Cuiabá. O posicionamento, dado durante reunião conjunta de comissões da Câmara de Cuiabá nesta quarta-feira (10), foi rebatido pelo parlamentar Chico 2000 (PL), que criticou o Governo federal.

Os vereadores membros das comissões de Constituição, Justiça e Redação (CCJR); Saúde; e de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária, emitiram parecer favorável a aprovação da matéria, em que o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) pede autorização do Legislativo para integrar o consórcio de municípios, para a aquisição de vacinas contra a Covid-19.

Diego, membro da Comissão de Saúde, votou pela ratificação a adesão, mas criticou a iniciativa da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), que coordena o movimento. “Vejo a criação desse consórcio como um grande desrespeito ao Ministério da Saúde e ao presidente Jair Bolsonaro, pois acredito que nesse momento os municípios deveriam unir forças com o Executivo federal, contudo, toda iniciativa é bem vinda e jamais iria me posicionar contra uma iniciativa que tem a intenção de vacinar pessoas. Vou acompanhar de perto”.

Em resposta, Chico, que preside a CCJR, disse que o desrespeito foi cometido pelo próprio presidente, que desmereceu a gravidade da pandemia e não se antecipou para as negociações com laboratórios internacionais.

“Desrespeito está existindo por parte do presidente com relação a nossa nação, quando ele incentiva a não utilização de máscaras, quando a seus assessores viajam para o exterior e tem coragem de postar foto embarcando sem máscaras. Esse desrespeito existe por parte do presidente. Diga-se de passagem, eu votei nele e se ele tivesse dado a atenção que deveria ter dado no início, quando todo esse agravamento iniciou, acredito que não estaria nessa situação ridícula de vacinação”.

Adesão

A mensagem do Executivo deve ser analisada pelo plenário durante sessão extraordinária ainda nesta quinta-feira (10). Na CCJR, os vereadores rejeitaram três emendas ao projeto. Duas apresentadas pela vereadora Edna Sampaio (PT) e outra por Dilemário Alencar (Podemos).

A petista, por exemplo, tentou estabelecer uma ordem prioritária para a imunização dos cuiabanos, mas, segundo o presidente da comissão, tal responsabilidade é exclusiva do Executivo. Além disso, pontuou que a proposta não tem relação com a matéria.

Já Dilemário tenta que o Executivo dê autorização ao Legislativo criar uma comissão que terá a função de gerir a aquisição de imunizantes em conjunto do o Palácio Alencastro. Chico pontuou que não cabe à prefeitura dar tal autorização, que a comissão de fiscalização deve ser criada por meio de resolução interna.