Derrubada de todos os vetos em pauta demonstram que o relacionamento entre o governador Mauro Mendes (DEM) e o parlamento podem estar sofrendo alguns arranhões. Conversa de bastidores apontam ainda uma possível mudança na liderança do governo, ainda que alguns deputados desmitam o fato.

Mesmo com o líder presente na sessão, os parlamentares transformaram em lei, nove projetos que haviam recebido vetos do governador Mauro Mendes (DEM). A movimentação pode estar ocorrendo por conta do momento ‘não muito tranquilo’ que o deputado Dilmar Dal Bosco (DEM) vem passando.

Dilmar foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por ato de improbidade administrativa, dano ao erário e enriquecimento ilícito
No começo da semana, Dilmar foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por ato de improbidade administrativa, dano ao erário e enriquecimento ilícito. Seus colegas não estariam muito satisfeitos, também, com sua atuação como líder.

Apesar do bom relacionamento com o governo, que em nenhum momento manifestou o interesse de destituir o deputado do cargo, o problema seria a falta de compromisso de secretários estaduais para com as promessas feitas aos parlamentares. Muitas das emendas não estariam sendo pagas e também solicitações não estão sendo atendidas, o que têm dificultado as articulações do líder.

Apesar de Dilmar se mostrar um pouco ‘desconfortável’ com a movimentação, após o deputado Ulysses Moraes (PSL) falar em plenário que seu colega Wilson Santos (PSDB) assumiria a função de líder do governo, na Casa, os deputados, em sua maioria, não demonstraram desejo de ter o tucano como líder e acreditam que o democrata tem feito o possível dentro do que lhe é possibilitado.

“O líder do governo [Dilmar] participou da sessão de forma virtual, fez uma defesa mais incisiva na hora dos vetos, de forma bastante tranquila, não tem nada quanto à ação que ele está sofrendo, está sendo investigado, isso faz parte do nosso processo democrático e que a Justiça tome as providências”, disse o presidente da Assembleia Max Russi (PSB).

Colega de partido e ligado ao governador, o deputado Eduardo Botelho (DEM) também defende a permanência de Dal Bosco na função. O democrata disse que conversou com o governador e não há nenhum movimento do Palácio Paiaguás para que haja uma troca de líder.

“Não vejo motivo para tirá-lo da liderança. Não vejo ninguém melhor do que ele para ser líder na Assembleia. Se ele foi denunciado, é preciso esperar que se defenda. Não há motivos para julgar alguém antes da própria Justiça”, disse Botelho.

Paulo Araújo (Progressistas) também fez coro ao democrata. “Entendemos que não é fácil ser líder do governo, fazer essa ponte, mas o deputado Dilmar faz um trabalho brilhante aqui dentro”.