O Ministério Público Estadual (MPE) pedirá explicações ao governo do Estado, a respeito da vacinação dos profissionais das forças de segurança do Estado, que pertencem no grupo de prioridades.
Isso porque  foram levantadas dúvidas sobre quais critérios estariam sendo seguidos, para esclarecer se quem  não atua na linha de frente da segurança também pode se vacinar.

O pedido de explicação ocorreu após o deputado estadual, delegado Claudinei (PSL), revelar que não aceitou ser vacinado, afirmando que não está atuando na linha de frente.