Caminhoneiros ignoram acordo e mantêm 26 bloqueios em MT

Vinte e seis trechos de rodovias em Mato Grosso permanecem bloqueados, de acordo com a PRF

0
197

Mesmo após o anúncio de um acordo com o Governo Federal na noite de quinta-feira (24) – para suspender a paralisação por 15 dias -, caminhoneiros mantêm nesta sexta-feira (25) bloqueios em 26 trechos de rodovias em Mato Grosso.

Segundo o ministro Eliseu Padilha, das 11 entidades que participaram das negociações, apenas a União Nacional dos Caminhoneiros não concordou com os termos.

No entanto, o representante do setor no Estado, Gilson Baitaca, que acompanhou a reunião realizada com ministro, relatou que a informação não é verdadeira, e que apenas duas ou três entidades assinaram o acordo.

“Passaram a tarde fazendo discursos, apelando, implorando para o setor ceder e dar uma trégua. O setor não cedeu, não deu trégua porque ainda há itens da pauta que não foram atendidos. Os dois itens mais importantes não foram atendidos, que é a redução do preço do combustível, através da isenção do Pis/Cofins, e o projeto 121/17, que são os dois principais pontos”, disse. O projeto cria uma política de preços mínimos para o transporte de cargas no Brasil.

“Então não houve nenhum acordo. O Governo pegou a assinatura de duas ou três entidades e soltou na imprensa que houve um acordo a fim de estabelecer uma trégua e não houve. Eu estava o tempo todo junto. Eu e mais dez companheiros, todos gravando áudios e vídeos para soltar nas redes sociais. Nós vamos aguardar a votação no Senado. Se não aprovar no Senado, não existe trégua e muito menos parar a mobilização”, afirmou.

A categoria é protesta contra os aumentos constantes do óleo diesel, cujo preço estaria tirando a rentabilidade do setor.

A paralisação

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) confirmou que continuam bloqueados 26 trechos federais que cortam Mato Grosso.

Desde a quarta-feira o protesto já vem trazendo conseqüências para moradores de Cuiabá e interior do Estado.

Apenas carros de passeio, ambulâncias, ônibus, cargas vivas e perecíveis estão sendo autorizados a seguir viagem.

A informação de que gasolina, etanol e diesel estavam em falta na Capital provocou filas gigantescas de veículos nos postos de combustível.

O setor alimentício também já estão demonstrando preocupação com a falta de produtos.

Outro reflexo do movimento dos caminhoneiros é a possível paralisação de 100% da frota do transporte coletivo.

No começo da tarde de ontem, as empresas de Cuiabá reduziram pela metade a circulação dos veículos.

Confira os trechos bloqueados:

1. BR-070, km 504, em Cuiabá
2. BR-364, km 398, em Cuiabá
3. BR-364, km 200, em Rondonópolis
4. BR-163, km 119, em Rondonópolis
5. Br-364. Km 613, em Diamantino
6. BR-163, km 593, em Nova Mutum
7. BR-070, km 276, em Primavera do Leste
8. BR-070, km 282, em Primavera do Leste
9. BR-070, km 376, em Campo Verde
10. BR-070, km 383, em Campo Verde
11. BR-163, km 691, em Lucas do Rio Verde
12. BR-163, km 821, em Sinop
13. BR-163, km 746, em Sorriso
14. BR-163, km 1065, em Guarantã do Norte
15. BR-174, km 288, em Pontes e Lacerda
16. BR-364, km 1191, em Campos de Júlio
17. BR-364, km 1120, em Sapezal
18. BR-174, km 488, em Comodoro
19. BR-070, km 005, em Barra do Garças
20. BR-070, km 008, em Barra do Garças
21. BR-158, km 564, em Água Boa
22. BR-364, km 878, em Campo Novo do Parecis
23. BR 158, km 130, em Confresa
24. BR- 070, km 686, em Lucas do Rio Verde
25. BR-364, km 269, Jaciara
26. BR-163, km 750, em Sorriso

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here