O atolamento de um veículo de carga causou uma fila com mais de 200 caminhões parados em um trecho de terra da rodovia MT-322. Segundo agricultores do Estado ao Canal Rural, a estrada sempre apresenta problemas de atoleiros há mais de 40 anos, o que prejudica deslocamentos e escoamento da produção local. O caso aconteceu na última sexta-feira (12).

Em vídeo, o presidente da Associação dos Produtores de Espigão do Leste (Apel), Alípio Portilho, alega que a rodovia já deveria ter sido asfaltada com recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab). “Com o valor [arrecadado] do Fethab 1, Fethab 2 e Fethab do Diesel com certeza já teriam recursos para fazer o asfaltamento dessa rodovia que é a espinha dorsal para o escoamento da nossa produção”, diz.

Em outro vídeo, é possível ver que um maquinário foi utilizado para remover o caminhão atolado. A máquina, inclusive, teria sido locada pela Apel, associação que foi criada no distrito do município de São Félix do Araguaia (a 1002 km de Cuiabá), em 2020, com o objetivo de arrecadar fundos para recuperar as rodovias da região.

Procurada pela Olhar Direto, a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística informou que a MT-322 não pode ser asfaltada sem autorização da Fundação Nacional do Índio (Funai) por se tratar de uma área indígena.

Confira na íntegra da nota da Secretaria.

A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) informa que as  incessantes chuvas que atingiram a região de São José do Xingu prejudicaram a trafegabilidade pela rodovia não-pavimentada MT-322. Em razão disso, uma equipe de manutenção desta secretaria já está atuando na rodovia, a fim de melhorar a situação da malha e restabelecer o  tráfego  na região.

A MT-322 corta uma área de reserva indígena e, por isso, não pode ser pavimentada sem anuência de órgãos como a Fundação Nacional do Índio (Funai).  Desse modo, a Sinfra segue atuando dentro de sua competência. Inclusive,  já está com processo licitatório em andamento para a pavimentação de 68,96 quilômetros da MT-109, no trecho que vai do entroncamento da MT-322, em São Felix do Araguaia, até o entroncamento da MT-412, em Canabrava do Norte.

Essa obra vai interligar o Distrito do Espigão do Leste até a cidade vizinha de Canabrava do Norte e a BR-158, tornando-se uma rota alternativa à MT-322.