Segundo reportagem da CNN Brasil, os kits de intubação comprados pela prefeitura do Recife, estão amontados em estoques da Secretaria de Saúde.
O Tribunal de Contas do estado do Pernambucano está investigando possível superfaturamento. Alguns itens em estoque, seriam suficiente para atender a demanda por mais de 700 anos.

São caixas empilhadas, algumas ainda embaladas em depósitos na secretaria de saúde do estado, com medicamentos e equipamentos para intubação de pacientes, que custaram ao estado mais de 40 milhões de reais.

Esses suprimentos fazem parte do kit intubação, que muitas vezes chegaram a faltar no país no pico da pandemia, e que no Pernambuco nem chegaram a sair das caixas devido a compra excessiva.

Segundo o procurador do MP de Contas, Cristiano Pimentel, os auditores do Tribunal de Contas estiveram no estoque da Secretaria de Saúde e constaram que alguns itens foram adquiridos em grande quantidade.

A CNN teve acesso aos relatórios da auditoria e analisou as aquisições feitas entre março e abril de 2020, no início da pandemia.

Na lista dos produtos comprados de forma exagerada pelo Recife, está um dos itens essenciais e indispensável para intubação, o tubo endotraqueal.

Desse tubo foram compradas 149 mil unidades, sendo que até março deste ano, um ano após a compra, 144 mil unidades permaneciam intactadas.

No ano passado, o material teve um consumo mensal de 202 unidades nos hospitais da capital. Considerando a demanda calculada em 2020 para a compra, seriam necessários 59 anos para utilizar todo o estoque do tubo comprado.

Outro item comprado em excesso segundo a auditoria, foi a cânula de traqueostomia.
No ano passado, foram utilizadas 3.180 unidades desse equipamento em todo Recife e ainda assim a secretaria do estado comprou 21 mil unidades de forma emergencial, quantidade suficiente para 5 anos de uso do equipamento no município.

“Esses estoques de segurança devem ser o menor possível, porque estoque parado é dinheiro parado, é chance de perder material, de desperdiçar material, de material vencer.”, disse o médico sanitarista Walter Cintra.

A aquisição de conjuntos de drenagem torácica, é o que mais surpreende. Foram compradas 35 mil unidades do kit, avaliadas em mais de 1 milhão de reais. Com base no uso do município a quantidade comprada com o estoque que já existia seria suficiente para abastecer a cidade por 723 anos.

Segundo o Tribunal de Contas além de comprar quantidade em excesso, a prefeitura do Recife também pagou mais caro em diversos itens, em alguns deles o valor trabalhado chegou a ser 170% mais alto que o valor de mercado.

Veja a reportagem completa: