O Democratas (DEM) em Mato Grosso, após uma série de criticas internas, iniciará hoje a preparação para a disputa eleitoral de 2022. A reunião aguardada pela cúpula estadual ocorrerá após uma série de críticas ao presidente da legenda, Fábio Garcia. No encontro, previsto para começar 18 horas, na residência do deputado estadual, Eduardo Botelho (DEM), será a primeira vez de maneira oficial que o DEM perguntará ao governador Mauro Mendes (DEM) se ele está disposto a buscar a reeleição no ano que vem.

Conforme apurou O Bom da Notícia, Mendes será questionado sobre o seu projeto político, já que a sigla defende que ele busque um segundo mandato. Porém, Mendes deverá deixar a decisão final para março do ano que vem. Já o segundo ponto será o início dos trabalhos para a construção de candidaturas a deputados estaduais e federais, com o ingresso de novas lideranças políticas do Estado.

Botelho e Dilmar Dal Bosco (DEM) reafirmarão o projeto de reeleição para a Assembleia e defendem uma chapa forte, com várias candidaturas, inclusive, de membros do staff de Mauro Mendes.

Este quesito foi o pano de fundo para a cobrança em cima de Fábio Garcia, que não reúne o partido desde as eleições do ano passado. Botelho e Dilmar Dal Bosco (DEM) reafirmarão o projeto de reeleição para a Assembleia e defendem uma chapa forte, com várias candidaturas, inclusive, de membros do staff de Mauro para a disputa, como os secretários Alberto Machado, o ‘Beto 2 a 1’ (Cultura, Esporte e Lazer) e César Miranda (Desenvolvimento Econômico).

Além dos dois ainda há quem defenda os nomes de Mauro Carvalho (Casa Civil) e do próprio Fábio Garcia para federal. Sobre a disputa ao Senado, o partido deverá condicionar a vaga junto ao projeto de Mendes à reeleição, não descartando o nome de Eduardo Botelho em uma eventual chapa pura do DEM.

“Eu sou candidato à reeleição, mas é como eu sempre digo, lá na frente que vamos definir, me perguntam se existe a possibilidade de eu disputar o Senado, eu vou disputar, eu não estou com esse foco, meu foco é estadual, é minha reeleição. Mas lá na frente, se o partido colocar, evidentemente que eu tenho condição de disputar qualquer cargo e assumir qualquer cargo com tranquilidade e pronto para fazer o melhor para Mato Grosso”, disse.